Nolite te Bastardes Carborundorum

Todo fã da série The Handmaid’s Tale conhece a expressão em Latim acima. É uma espécie de trocadilho com a própria língua – uma piada interna das aulas de Latim da escritora Margaret Atwood – e significa algo como “Não deixe os idiotas te oprimirem“. Dentro da série, a frase tem todo um contexto de resistência e resiliência, um aviso, um lembrete pessoal diário, quase um mantra, de que – a despeito dos idiotas – existe uma saída.

Não precisamos de uma distopia para pensar nesse termo como algo aplicável ao nosso dia a dia. Muitas vezes nos sentimos mal porque deixamos que alguém nos coloque para baixo (ou fazemos isso com um amigo) com um comentário que talvez nem tenha sido maldoso. Não que estejamos cercados de idiotas. Mas às vezes soamos como se o fôssemos. É um desafio enorme identificar essas situações e superá-las sem trauma.

Hoje me deparei com o discurso do saudoso Stan Lee numa formatura da UCLA. Adivinha sobre o que ele falou? Sim: “If you have an idea that you genuinely think is good, don’t let some idiot talk you out of it.

* Se você tem uma ideia e sabe que ela é genuinamente boa, não deixe um idiota te convencer do contrário.*

Em tempos de tamanha polaridade tóxica, precisamos nos lembrar disso.

Excelsior!

Sobre Cacau

Carioca. 38 anos. Analista de Relações Internacionais. Flamenguista (herança do S.Beleza). Manqueirense (sambista sempre). Taurina. Soprano. Ruiva (quase sempre, por insistência). Chorona. Apaixonada pela sua família. DVDmaníaca. Fã de MPB, Rock, BRock, Samba e 70's songs. Viúva do Vinícius. Órfã da Maldita. Cantora sem talento. Lamenta não ser contemporânea do Elvis ou Elis. Quer aprender Tango. Viciada em Big Mac e Pinball no PC. Adora futebol E football. Troca facilmente um longo telefonema pela mesa do bar mais próximo. Vive bancando a ostra. Está sempre atrasada. Karateca cuja promissora carreira foi interrompida por uma fratura na mão direita. Lê mais que a média e menos do que deveria (ou gostaria) assim como viaja menos do que merece. É um fracasso em finanças pessoais. Quer ganhar qualquer grana na raspadinha, mas nunca as compra. Curte noitadas de Quizz e Karaokes. Tem insônia semanalmente. Adora dar presentes. Odeia sentir-se impotente. Devotada aos amigos e aos amores.
Esta entrada foi publicada em Cotidiano e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta