Vídeo com a movimentação do 2009 DD45 visto da Austrália

Levei um susto gigante quando vi no cantinho da primeira do O Globo, quase no rodapé: “Asteróide passa de raspão pela Terra.” Normalmente começo lendo o jornal pelos esportes mas hoje fui direto para a tal reportagem entender essas seis palavrinhas tão fora de contexto. Não é que foi isso mesmo que aconteceu? O asteróide 2009 DD45 “tangenciou” o planeta na manhã da última segunda-feira passando a uma distância de 72.000 Km da superfície da Terra. Essa distância equivale ao dobro da altura dos satélites de comunicação da órbita terrestre e à um quinto da distância entre a Lua e a Terra. Com tamanho estimado entre 21 e 47 metros de comprimento, o 2009 DD45 seria similar àquele do Evento de Tunguska em 1908 na Sibéria, com efeito similar à 1000 bombas de Hiroshima, devastando uma área de 80 milhões de árvores e que, se tivesse caído 5 horas depois, teria destruído simplesmente a capital São Petersburgo. Juro por Deus que me arrepiei.

Imagino assim, o susto que não devem ter levado os astrônomos que identificaram o evento e monitoraram a rota do asteróide. Passei a imaginar também quanto tempo teríamos para uma operação de evacuação consderando que, se mal sabemos lidar com as águas março inundam o Rio, como atuaríamos frente a um problema desta natureza. Também me peguei refletindo em qual seria a minha prioridade. E não consegui pensar em mais nada além de procurar a companhia de meus pais. 
Mais notícias aqui, aqui e aqui.