São Paulo

É lamentável ver o que o excesso de vaidades faz com a nossa vida. O pânico se alastra pelas ruas e só vemos pronunciamentos vazios e irresponsáveis. Quando vai acabar, não sei. Espero que rápido, muito rápido. Boatos!?!? Medo infundado?!?! A família brasileira não merece isso, ter que que correr no meio do dia para buscar os filhos na escola que vai fechar, sair correndo à procura de ônibus para voltar para casa torcendo para aquele ônibus não estar na lista dos bandidos agitadores, mudar de caminho porque a agência bancária foi incendiada, ter que pensar em quem ainda falta dar notícias para ter certeza de que seus queridos estão todos bem. Bem? Quem é que está “bem” com isso tudo? O pior é saber, mesmo que doa reconhecer, que tem muita gente que consegue dormir…

Sobre Cacau

Carioca. 38 anos. Analista de Relações Internacionais. Flamenguista (herança do S.Beleza). Manqueirense (sambista sempre). Taurina. Soprano. Ruiva (quase sempre, por insistência). Chorona. Apaixonada pela sua família. DVDmaníaca. Fã de MPB, Rock, BRock, Samba e 70's songs. Viúva do Vinícius. Órfã da Maldita. Cantora sem talento. Lamenta não ser contemporânea do Elvis ou Elis. Quer aprender Tango. Viciada em Big Mac e Pinball no PC. Adora futebol E football. Troca facilmente um longo telefonema pela mesa do bar mais próximo. Vive bancando a ostra. Está sempre atrasada. Karateca cuja promissora carreira foi interrompida por uma fratura na mão direita. Lê mais que a média e menos do que deveria (ou gostaria) assim como viaja menos do que merece. É um fracasso em finanças pessoais. Quer ganhar qualquer grana na raspadinha, mas nunca as compra. Curte noitadas de Quizz e Karaokes. Tem insônia semanalmente. Adora dar presentes. Odeia sentir-se impotente. Devotada aos amigos e aos amores.
Esta entrada foi publicada em Cotidiano, Sociedade. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta