Cromoterapia

Se eu pudesse fazer um desejo agora ele seria: que meus dias fossem, ao menos, tão coloridos quanto foram os três dias deste último fim de semana (prolongado para os cariocas – e alguns visitantes). Colorido, sim, por que cor sempre me lembra alegria, diversidade, surpresa, movimento. E assim foi meu feriadão: colorido.
Colorido por cores fortes.
Colorido pelos
sorrisos iluminados (sim, no plural, eram vários).
Colorido pelo brilho dourado e constante do sol.
Colorido pelo brilho prateado de um
pequeno presente.
Colorido pelas paisagens.
Colorido pelos vários verdes dos cenários mais diversos e sempre carioquíssimos.
Colorido pela diversidade do Nordeste que fica do Rio.
Colorido pelas bochechinhas rosas do sobrinho fofo mais fofo do mundo.
Colorido pela idéia da imagem inspirada no final feliz.
Colorido pelas 175 fotos tiradas (e foi nesta hora, quando organizava as fotos no pc, que me dei conta do colorido do fim de semana).
Até minha geladeira (tradicionalmente branca – por fora e por dentro) estava coloridérrima!
Pena que faltaram as cores da Estação Primeira, ou mesmo da Vila (ingresso mais em conta), mas fica pra próxima.

Obrigada, Deus, pelas cores destes dias!

Cores. Esse é o meu desejo: dias intensamente coloridos a todos nós.

PS: Acho que vou virar devota de S. Sebastião…

Sobre Cacau

Carioca. 38 anos. Analista de Relações Internacionais. Flamenguista (herança do S.Beleza). Manqueirense (sambista sempre). Taurina. Soprano. Ruiva (quase sempre, por insistência). Chorona. Apaixonada pela sua família. DVDmaníaca. Fã de MPB, Rock, BRock, Samba e 70's songs. Viúva do Vinícius. Órfã da Maldita. Cantora sem talento. Lamenta não ser contemporânea do Elvis ou Elis. Quer aprender Tango. Viciada em Big Mac e Pinball no PC. Adora futebol E football. Troca facilmente um longo telefonema pela mesa do bar mais próximo. Vive bancando a ostra. Está sempre atrasada. Karateca cuja promissora carreira foi interrompida por uma fratura na mão direita. Lê mais que a média e menos do que deveria (ou gostaria) assim como viaja menos do que merece. É um fracasso em finanças pessoais. Quer ganhar qualquer grana na raspadinha, mas nunca as compra. Curte noitadas de Quizz e Karaokes. Tem insônia semanalmente. Adora dar presentes. Odeia sentir-se impotente. Devotada aos amigos e aos amores.
Esta entrada foi publicada em Carioquês, Diário, Família e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta